O SENHOR ME ATRAIU | A MARAVILHOSA GRAÇA DE DEUS

Por Menezes Neto      09/02/2019 16:20:57    
 
Entendemos que nunca estiveram nos planos de Deus que homem viesse a pecar e cair da união que o mesmo desfrutava com o Criador, Deus sabia que tal ação viria acontecer, mas não decretou que tais ações fossem cometidas pelo homem (Gn 2.15-17). No entanto, o homem caiu e desobedeceu ao Criador (Gn 3.1-7) e colocou uma barreira entre ele e Deus (Gn 3.22-24).
Deus em sua infinita graça e misericórdia, já sabendo que o homem havia lhe desobedecido, vai ao seu encontro (Gn 3.8,9), pois na condição em que o homem se encontrava naquele momento, já não lhe era mais possível ir até ao Criador por suas próprias forças (Gn 3.10), pois tal relacionamento havia sido quebrado. Então, Deus vai ao encontro do homem, assim como um pastor vai ao encontro de uma ovelha desgarrada, e abre um diálogo com ele.
“A culpa e a consciência do pecado motivaram Adão e Eva a fugir de Deus. Tinham medo e constrangimento na sua presença, sabendo que tinham pecado e que estavam sob o desagrado de Deus. Nessa condição, viram que era impossível chegar à sua presença com confiança (ver At 23.1 nota; 24.16 nota). Em nossa condição pecaminosa, também somos semelhantes a Adão e Eva. Deus, no entanto, proporcionou um caminho para purificar nossa consciência culpada, para livrar-nos do pecado e nos restaurar à comunhão com Ele o caminho chamado Jesus Cristo (Jo 14.6). Mediante a redenção que Deus proveu através do seu Filho, podemos vir a Ele e receber o seu amor, misericórdia, graça e ajuda em tempo oportuno (ver Hb 4.16 nota; 7.25 nota)” (STAMPS, 1995, p.37).      
Deus poderia muito bem, deixar com que o curso da humanidade seguisse de acordo com as condições que o homem havia escolhido. Mas Deus não abriu mão do homem, e não lhe deixou vagando no mundo, não o desprezou por conta de sua desobediência. Pelo contrário, Deus derrama de sua graça sobre a humanidade e diante de todo o acontecido, proporciona um escape, ou melhor um redentor (Gn 3.15).
“Deus promete aqui, que Cristo nasceria de uma mulher (cf. Is 7.14), e que Ele seria ferido ao ser crucificado, porém, ressuscitaria dentre os mortos para destruir completamente (i.e., ferir) Satanás, o pecado e a morte, para salvar a humanidade (Is 53.5; Mt 1.20-23; Jo 12.31; At 26.18; Rm 5.18,19; 16.20; 1 Jo 3.8; Ap 20.10)” (STAMPS, 1995, p.37). 
E é por meio de Jesus Cristo (Jo 3.16), o Filho de Deus, que somos atraídos novamente para um novo relacionamento com o Criador. O Evangelho de João, no capítulo 12.32, diz que: “E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim”. Em seu comentário do Evangelho de João, Joseph H. Mayfield, citando Wescort, diz: “Westcott, comentando o termo “atrairei” (pelo Espí­rito), diz: “Existe a necessidade desta violência amorosa, pois os homens são ‘reprimidos pelo inimigo’” (MAYFIELD, 2006, pp.112-113).
No entanto, tal atração deve ser aceita e reconhecida pelo homem pecador (At 7.51). Stamps, comentando o texto de João 12.32, em sua Bíblia de Estudo Pentecostal, fala-nos acerca dessa maravilhosa graça: “A graça de Deus não é exclusivista, i.e., como se fosse para algumas pessoas e outras não. Alguns, no entanto, por causa do seu amor ao pecado, anulam a graça de Deus com próprias decisões e ações (ver Mt 23.37).
Esse é a maneira de Deus lidar com o ser humano, obra de sua criação, por meio da pessoa de Jesus Cristo, seu Filho, Ele concede a todos a oportunidade de reatarei sua aliança com Deus. O Espírito Santo é um dos agentes transmissor dessa graça (Jo 16.7,8). Que você querido leitor, seja cada vez mais, mergulhado nessa graça maravilhosa e que continuamente o Espírito, comunique ao seu coração que és um filho de Deus.
Tenha um feliz ano novo com a graça de Deus!   
 
Valdemir Pires Moreira Valdemir Pires Moreira é diácono da Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Caucaia-CE. Bacharel em Teologia pelo INTA - Instituto Superior de Teologia Aplicada, Bacharel Eclesiástico pelo ICI BRASIL - Instituto Cristão Internacional, professor de Escola Bíblica. Autor do livro, Teoria e Método Teológico no Pensamento de Jacó Armínio (Editora Reflexão), e Casado com Elizangela Pires.
 
 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1995.
GREATHOUSE, W.M; METZ, D.S; CARVER, F.G. 9Eds.). Comentário Bíblico Beacon, Vol.7. Rio de Janeiro: CPAD, 2006.

Comente

2017 Copy - HolyBox - Todos os Direitos Reservados

Plataforma para clubes: Plataforma para Clube de Assinaturas