NOTA SOBRE SUZANO

Por Menezes Neto      27/03/2019 17:58:07    
  Como responsável por escrever sobre temas atrelados a missões, e sobre a responsabilidade social que acredito ter o missionário chamado e enviado pelo Senhor, além do ministério ativo na área; me senti muito tocada a falar sobre o ocorrido na Escola Estadual em Suzano, no interior de São Paulo. Triste coincidência é que em um artigo intitulado ‘Genuidade’, comentei sobre o ocorrido em Columbine High, no Colorado em 20 de abril de 1999 nos Estados Unidos, o que serviu de “inspiração” para o atentado em Suzano.
      A continuação das investigações policiais indica que há indícios de um suposto conluio acordado em fóruns e salas de bate-papo fantasmas na ‘Deep web’, e essa informação me promove o pesar de ser forçada a reconhecer que Eric Harris e Dylan Klebold deixaram um legado de dor e violência, pois ambos os dois se alimentavam e espalhavam sementes de ódio e sadismo pela internet na época em que planejaram e executaram o atentado, e para lamento de todos, inspiram e corroboram os ideais de jovens e adolescentes que ainda hoje desejam - e como vimos, planejam e executam- fazer algo igual ou semelhante.
            A primeira reação sempre é a de odiar os autores do crime e culpar ou transferir parcela de culpa para seus pais ou cuidadores, é fácil odiar Eric Harris e Dylan Klebold, por terem feito isso há 20 anos e marcado o mundo de forma aterradora e controversa, é fácil odiar os autores do que houve em Suzano, por terem copiado em muitos aspectos o que houve em Columbine, mas se tem algo que eu aprendi e continuo aprendendo em minha caminhada com Cristo como semeadora da palavra é que “Deus não sente prazer na morte do ímpio.” (Ezequiel 33); assim sendo, Deus lamenta pelas vidas dos homicidas suicidas que interromperam a vidas dos outros e as suas próprias de forma tão vil.
      Deus, e claro, toda sociedade brasileira lamenta a morte de tantos inocentes, a dor de todas as famílias e o trauma imputado àquela comunidade, nossas palavras nunca serão suficientes para acalmar e consolar a dor desses corações. 
            Infelizmente, depois que o homem pecou no Éden, e a corrupção do caráter e da conduta se alastraram como praga pela raça humana, uma das manifestações da queda que mais se consolidou foi a maldade em todos os seus aspectos: Violência, crueldade, negligência, roubo, abuso, depravação, exploração, omissão, humilhação, usurpação, suplantação … O ser humano caído tornou-se mal, de fato mal. Essa maldade, acarretou e acarreta consequências para toda a raça humana visto que nossos atos atingem a nós mesmos e aos outros a nossa volta, acabamos por nos tornar uma comunidade de indivíduos que faz mal uns aos outros.
            Quando a palavra de Deus nos alerta várias vezes em diversos momentos sobre buscarmos nascer do Espírito Santo e abandonarmos toda carnalidade, é porque somente a natureza de quem é Deus se revelando dentro de nós é capaz de matar, aniquilar a maldade incorporada a nossa carne, nossa condição de humanos. A Bíblia em diversos versículos nos alerta que existem pessoas tão longe de Deus e tão caídas que o seu coração só planeja o mal, e o inimigo de nossas almas, sabendo de nossas fragilidades individuais e da nossa situação de desgarrados antes de nos entregarmos a Cristo, projeta então seus dardos inflamados e enganos na mente de indivíduos vulneráveis espiritualmente, tomando suas mentes, dominando-as e através de toda deficiência e dor que haja em seu coração, justificar tais pensamentos e planos como justos, e assim, induzindo alguns a atos como os já citados (2 Co 10.3 a 6). Quando a Bíblia também nos alerta sobre a armadura espiritual descrita pelo apóstolo Paulo em Efésios 6, é porque sim, temos um inimigo que milita constantemente contra a humanidade e contra o próposito de Deus em nos dar o Seu Filho, que é o da redenção; por isso o capacete da Salvação, pois em Cristo, nossas mentes são inacessíveis para os ardis de Satanás.
            Precisamos entender que até os assassinos mais frios e cruéis são marionetes nas mãos de adversário que os maltrata e aprisiona em uma redoma demoníaca em suas próprias mentes, e claro, as vítimas não tem nada a ver com isso, mas como o próprio Jesus disse a Seus discípulos “ O ladrão vem pra roubar, matar e destruir” quem quer que esteja ao seu alcance, então tanto executores quanto executados o inimigo intentava ceifar, buscando brechas para trazer a desgraça (1 Pedro 5.8). Jesus disse também que veio para “que tivéssemos vida, e vida com abundância”, então aqueles que partiram crendo no Senhor estão descansando agora.
            Faltam-me palavras, porém sobram sentimentos de empatia para com todas as vítimas, seus familiares, funcionários e vizinhos da escola, e toda a comunidade não só de Suzano, mas de todos os lugares em que eventos como este ocorreram e marcaram pessoas e lugares.
            O mundo está se tornando cada vez mais um lugar insuportável, tóxico e hostil - e posso dizer que literalmente, devido ás questões ambientais, excesso de lixo e resíduos, aumento populacional e dificuldade de manutenção da qualidade de vida- mas, quando meditamos na palavra do Senhor, vemos que em toda a história da humanidade o ser humano instaurou o caos para si mesmo por sempre se valer de sua própria ciência e interpretação das coisas, e por se deixar ser guiado pelos dolos e engodos dos desejos de seu enganoso coração e por isso mesmo, Deus levantava vozes proféticas para declarar que Ele permanece sendo Deus mesmo diante do caos que a humanidade causa, e que Ele está aqui para resgatar o homem se sua maldade autodestrutiva e corrosiva.
            Que no meio de todo o caos que estamos vendo no mundo, possamos ser as vozes proféticas levantadas por Deus para anunciar que há um reino de justiça, onde não há morte, não há dor, e dos nossos olhos toda lágrima será enxugada…
                             
       “A ti, pois, ó filho do homem, te constituí por atalaia sobre a casa de Israel; tu, pois, ouvirás a palavra da minha boca, e lha anunciarás da minha parte.
Se eu disser ao ímpio: Ó ímpio, certamente morrerás; e tu não falares, para dissuadir ao ímpio do seu caminho, morrerá esse ímpio na sua iniqüidade, porém o seu sangue eu o requererei da tua mão.
Mas, se advertires o ímpio do seu caminho, para que dele se converta, e ele não se converter do seu caminho, ele morrerá na sua iniqüidade; mas tu livraste a tua alma.
Tu, pois, filho do homem, dize à casa de Israel: Assim falais vós, dizendo: Visto que as nossas transgressões e os nossos pecados estão sobre nós, e nós desfalecemos neles, como viveremos então?
Dize-lhes: Vivo eu, diz o Senhor DEUS, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho, e viva. Convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois, por que razão morrereis, ó casa de Israel?”(Ezequiel 33.7-11).
                                        Com carinho, Carenn R.

________________________________________
Carenn Rodrigues é membro da Igreja Metodista Wesleyana na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Tem 23 anos e é estudante de Ciências Biológicas/ Biotecnologia  da IFRJ campus Maracanã. Lider da comissão de missoes e evangelismo da IMW Magarça e professora da EBD desde 2015. 

Comente

2017 Copy - HolyBox - Todos os Direitos Reservados

Plataforma para clubes: Plataforma para Clube de Assinaturas