A DOUTRINA DA IMPUTAÇÃO NA EPÍSTOLA DE PAULO A FILEMON

Por Menezes Neto      02/03/2019 10:09:22    
 
Quem era Filemon?
Filemon morava em Colosso na Ásia menor. Ele era rico e mantinha a Igreja em sua própria casa. Um escravo dele de nome onésimo havia furtado alguma coisa, e havia fugido para Roma; e lá se encontrou com Paulo, que o evangelizou, ganhando para Cristo. Vendo a necessidade de corrigir o mal que Onésimo havia feito, Paulo o enviou de volta a Filemon, pedindo que este  recebesse o seu escravo de volta, o perdoasse e o recebesse como irmão em Cristo. O apóstolo Paulo entendia que a dívida feita por Ónésimo devia ser paga, o escravo Ónésimo, entretanto, não havia como quitar seu débito, assim o Apóstolo Paulo si compromete a pagar a sua dívida (Fm 1:17,18). Paulo nos dá um exemplo da doutrina da “imputação”.
O que é imputação?
Segundo o pastor Claudionor de Andrade imputação [do Lat. Imputare; do Gr. logizomai; do Hb. Hasad] a idéia, nas três línguas clássicas, é uma só: creditar na conta de alguém. Trata-se de uma declaração formal de que determinação ação foi, de fato, praticada pelo individuo em juízo. No que concerne a justificação pela fé, Deus, ao invés de considerar culpado o pecador arrependido, declara-o justo com base nos mérito de Cristo Jesus ( Rm 4:7; 2 Co 5:19). Ou seja, imputação é o lançamento ou creditamento da justiça de Cristo a nosso favor, mediante a nossa fé em Cristo ( Rm 4:3ss; Gl 2:16ss; 3:6-8; Gn 15:6; Tg 2:23). “o Senhor justiça nossa” (Jr 23:6). “mas vós sois dele em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus (...) justiça” (1 Co 1:30).
Paulo pagou a dívida de Ónesimo
Onésimo foi um escravo fugitivo que se converteu, e Paulo propôs que retornasse ao seu Senhor. Porém Onésimo não tinha como saldar os prejuízos causados ao seu dono e isto deveria ser feito antes de qualquer restauração. Logo o apóstolo Paulo assumiu suas dívidas e pediu a Filemon que recesse o escravo como se fosse ele mesmo.
Paulo se apresentou como mediador entre Onésimo e Filemon para quitar todo o débito de Onésimo. A dívida de Onésimo foi colocada na sua conta, que se dispôs a pagá-la. Onésimo não tinha condições de pagá-la. O pecado da humanidade foi imputado por Deus pai a Deus filho, a nossa dívida era impagável, Cristo pagou por nós ( Jo 19:30).  Jesus tomou a nossa dívida que tínhamos com Deus e cobrou de si mesmo nosso débito, colocando sua justiça em nossa conta ( Is 53:4-6; 2 Co 5:21; 1 Pe 2:24).
A dívida que pesava sobre os nossos ombros foi transferido para Cristo, a imputação, o ajuste de contas, no qual Deus computou na “coluna de débito” de Jesus Cristo, aquilo que realmente não lhe cabia, pois não tinha pecado. O escritor William Macdonald diz que: não podemos ler isso sem recordar da enorme dívida que tínhamos contraido como pecadores, e como tudo foi colocado na conta do Senhor Jesus no calvário. Ele pagou a dívida toda quando morreu como nosso substituto.
Jesus assumiu a nossa dívida
Paulo ao assumir a dívida de Ónésimo, nos mostra o que Deus fez por nós em Jesus Cristo. Assim como o apóstolo Paulo assumiu a dívida de Onésimo, solicitando que Filemon–que tinha sido prejudicado-lançasse o débito na conta dele, Paulo. Do mesmo modo Jesus Cristo tomou a nossa dívida que tínhamos. Por causa do pecado e da desobediência a Deus estávamos condenados a passar a eternidade longe do Senhor, porém Jesus, “agora” na consumação dos séculos, uma vez por todas  se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo” ( Hb 9:26). Jesus, além de pagar a nossa dívida, pagando o preço pelos nossos pecados, nos tornou justificados. Recebendo esse benefício pela fé ( Rm 5:1). Glória a Deus!
 
Referências
ANDRADE, Claudionor, Dicionário Teológico, Rio de Janeiro, CPAD, 2013.
GILBERTO, Antônio, Teologia  sistemática Pentecostal, Rio de Janeiro, CPAD, 2016
MACDONALD, Willian, comentário Bíblico popular do novo Testamento, Mundo Cristão, São Paulo, 2011.
 
 
Ismael Ferreira Silva é Evangelista na AD em Caracol-(PI), Membro da (CEADEP e CGADB), Graduado em Teologia pela FATEH-(MA), Neuropsicólogo pela Faculdade Cidade Verde FCV (PR), acadêmico em Pedagogia pela Faculdade Entre Rios (PI), Pós- Graduado em Docência do Ensino superior e Filosofia, pós- Graduando em metologia da Geografia e História. Diretor do Centro Preparatório para Obreiros (CPPO).

Comente

2017 Copy - HolyBox - Todos os Direitos Reservados

Plataforma para clubes: Plataforma para Clube de Assinaturas