COMO OLHAMOS PARA NOSSA NOVA VIDA?

Por Menezes Neto      04/03/2019 11:24:21    
“Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades”.
                                                                                         (Tio Ben)
               
A lição foi dada a Peter Parker por seu tio Ben, logo na primeira historia do Aranha, escrita por Stan Lee. Foi em 1962, no 15º volume da Amazing Fantasy, que Peter descobriu que vida de super-herói não é algo fácil. Quando olhamos pra essa frase e olhamos para a nossa realidade, podemos facilmente perceber que pesa esta responsabilidade em cada pessoa que se denomina cristão e que se diz alcançada pela Graça.
Essa é uma mensagem para poucos...
Quando olhamos para a comunidade evangélica atual, podemos claramente pela experiência afirmar que ela desconhece a responsabilidade que é se denominar Cristão. Não percebemos apenas pelo grande número de denominações que nascem não pelo desejo em alcançar vidas, mas no intuito de impor a própria vontade do “líder” em lugar das escrituras, de pregações desprovidas da real mensagem de Deus ao homem depravado no anseio de obter algum benefício monetário por meio da fé, mas nas vidas práticas de muitos que não entenderam ainda que com a alcunha de cristão, vêm grandes responsabilidades. Dentre as inúmeras que nos são próprias, falaremos nesse pequeno texto de apenas quatro.
NÃO ESTAMOS ALHEIOS À REALIDADE DO MUNDO| “Tendo iluminados os olhos do vosso entendimento, para que saibais qual seja a esperança da sua vocação, e quais as riquezas da glória da sua herança nos santos” (Efésios 1.18)
O mundo anda em trevas e o príncipe deste século, cegou o entendimento dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a luz do evangelho de Cristo (2Cor. 4.4). A nós que cremos nos foi retiradas as escamas dos olhos e iluminada a nossa mente, tanto para a real situação global, quanto ao evangelho de vida eterna, que vem única e exclusivamente de Cristo. Assim sendo, temos por primeira responsabilidade o PREGAR O EVANGELHO. Spurgeon dirá que “Todo cristão ou é um missionário ou é um impostor” Sabendo que o mundo jaz no maligno e que esta vida que vivemos hoje é passageira, rápida e cheia de frustrações e desafetos, devemos proclamar com bastante seriedade e de forma fidedigna, o evangelho de nosso Senhor e Salvador, Jesus. Paulo nos dirá a este mesmo respeito “Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho! (1 Cor. 9.16). Ai de nós, se sabendo fazer o bem, não fizermos! Se fôssemos médicos que encontrassem a cura definitiva para Aids ou câncer e guardássemos para nós e os nossos, negando a possibilidade de uma vida aos doentes que estão sem conhecimento, quão miseráveis seríamos...Assim, tendo a única cura genuína para o maior câncer já existente, o pecado, devemos como servos fieis, proclamar este magnífico amor.
FOMOS ALCANÇADOS PELA GRAÇA | “Porque tudo isto é por amor de vós, para que a graça, multiplicada por meio de muitos, faça abundar a ação de graças para glória de Deus”(2 Coríntios 4.15) Esta é a razão para não andarmos embriagados pelo mundo, a Graça de Deus. Ela que nos move, motiva e muda nossas afeições, volições e caráter. Ela se manifestou a nós, trazendo salvação e por isso devemos tanto ser gratos, quanto multiplicar essa bênção, para a glória de Deus. Note que tudo envolve a Glória de Deus. O homem encontrar-se com o entendimento não dignifica apenas o que se havia perdido, mas glorifica em primeiro plano, Deus, que o salvou. Outrora éramos inimigos da cruz de Cristo como tantos outros que vivem entre nós, mas hoje entendemos o que precisamos fazer e como devemos nos portar para que haja glória a Deus entre os homens. Isso nos leva a segunda grande responsabilidade que é REGENAR AS PAIXÕES QUE TÍNHAMOS ANTERIORMENTE. Paulo escrevendo aos Romanos diz: “Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça abunde? De modo nenhum. Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele?” (Romanos 6.1-2). Muitos que hoje baratearam a Graça, vertendo sua santidade em libertinagem. Paulo vai trazer justamente a visão oposta. O viver em santidade é o que vai determinar se somo ovelhas ou porcos. Nesse mundo pós-moderno que vivemos, negar os instintos por um poder advindo de Deus mostrará ao mundo que há sim um remanescente, alguém em que Deus habita. Pecaremos de fato, pois nossa natureza nos inclina ao mal, mas não viveremos deliberadamente no mal, tentando para a glória de Deus, nos afastar de qualquer menção de que seja pecado o que nos encaminhará à próxima responsabilidade.
FOMOS ALCANÇADOS PARA UM FIM EXCELENTE | “Por isso, deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus” (Hebreus 6.1).
Falar em perfeição cristã hoje é um tanto delicado, tendo em vista que cremos claramente na depravação total do gênero humano. Mas há clara menção de uma perfeição na vida dos crentes que precisa ser analisada. Tentarei exemplificar o que tenho por conceito de perfeição cristã, para que não haja uma má interpretação do que estou escrevendo. Tenho um bebê de três meses, Levi Miguel. Lindo meu filho com seus cabelinhos negros e “olhos de jaboticaba”... Sendo novinho, ainda não tem dentes, não fala ou anda mal segura as coisas com as mãozinhas... Mas ele é perfeito! Perfeito diante da sua idade. Mas caso ele cresça e seus dentes não se desenvolvam ou ele não consiga falar, deixa de ser perfeito, pois para o padrão de tempo, ele não executa ou tem características próprias à idade. Assim é o crente que é alcançado pela Graça. Ele começa como um bebê sem entendimento, mas a medida que ele cresce em Cristo, há mudança de vida que antes era imperfeita. Assim sendo podemos receber a seguinte ordem: “Mas, como é santo aquele que vos chamou sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver” (1 Pedro 1.15). Essa é a terceira grande responsabilidade do cristão súdito do Reino de Cristo, buscar a perfeição em Cristo e buscar a santidade em toda a maneira de nosso viver. A Graça nos fortalecerá para tal feito, pois de nós mesmos, com certeza isso nunca ocorreria, mas é imprescindível a todo filho de Deus, ser conforme a imagem de seu filho, pois para isso que fomos alcançados (Rom.8.29).
SOMOS POR CRISTO, FORTALECIDOS | “Mas nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos”. (Romanos 15.1). Aqui há uma responsabilidade ímpar, que é algo necessário às comunidades locais. Não é difícil ver pessoas imaturas descontentes com os relacionamentos nas igrejas. Muito disso parte dos que são fortes não terem em mente que devem auxiliar os que não conseguem avançar sozinhos na caminhada. Os que detêm cargos ou funções de ensino, auxiliando os alunos que têm problemas em fixação e aprendizado... Mulheres auxiliando jovens que enfrentam assuntos como sexualidade e a virgindade como princípio... Pessoas que se colocam como servos dos demais, para que estes se sintam fortalecidos em Cristo, por meio de uma ação do crente que puxa pra si a responsabilidade. Nós que pela Graça, alcançamos algum conhecimento, devemos rogar para que tenhamos poder de cristo nos transformando em pessoas responsáveis dos fracos, protetores dos aflitos e carregadores dos demais. Ajudadores dos que vivem de pregar o evangelho, fortalecedores da congregação e entusiastas do reino.
 
“Porque o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder”. (1 Coríntios 4.20)
 
Paz e graça.
_______________________________
Menezes Neto é cristão, conservador, graduando em Teologia pelo Instituto Teológico Superior de Missões – ITESMI. Estudou Matemática, Arquitetura e urbanismo, Engenharia Civil, mas Deus achou por bem colocá-lo na teologia e filosofia, para sua glória. Diretor da Holybox, casado com Eloísa Menezes e pai de três filhos, Ana Luíza, João Pedro e Levi Miguel.
 

Comente

2017 Copy - HolyBox - Todos os Direitos Reservados

Plataforma para clubes: Plataforma para Clube de Assinaturas